BEM-VINDO


SÊ BEM-VINDO A ESTE BLOGUE!

Tens aqui um espaço, onde poderás falar de livros, leituras, escrita e...

Poderás participar escrevendo um comentário ou enviando trabalhos, desenhos, sugestões, fotos... para o seguinte email:

beescolaeb23jacintocorreia@gmail.com

ANO NOVO, VIDA NOVA!

Começou mais um ano letivo! 

A Escola ganha vida e a Biblioteca enche-se  com  muitos rostos novos e outros já bem conhecidos. Os livros abandonam as estantes e começam a circular de mão em mão. 

A Equipa da Biblioteca  deseja que o ano que agora se inicia te traga muitos conhecimentos e boas leituras!

Juntos iremos descobrir tantas e tantas coisas!
Bem-vindos!

Dia do Trabalhador

Sabes por que motivo se comemora o 1º de Maio?
Lê a informação que recolhemos para ti.
1.º de Maio - Dia do Trabalhador
No dia 1 de Maio, comemora-se, por todo o mundo, o Dia do Trabalhador.
A história deste dia começa no séc. XIX. Nessa época, a vida dos trabalhadores não era fácil, porque chegavam a trabalhar entre 12 e 18 horas por dia, o que era muito cansativo e até prejudicial à saúde!
No dia 1 de Maio de 1886, juntaram-se milhares de trabalhadores em Chicago (Estados Unidos) com o propósito de lutar pelas oito horas de trabalho e de protestar contra as más condições de trabalho. Esta manifestação que se pretendia pacífica foi travada pelas forças policiais, o que provocou vários mortos e feridos
Este acontecimento ficou conhecido como "os Mártires de Chicago", por causa das pessoas que foram feridas e mortas só por estarem a lutar pelos seus direitos.
Quatro dias depois, houve uma nova manifestação pela redução do horário de trabalho e melhores condições. Mais uma vez, a polícia virou-se contra os manifestantes e acabou por prender 8 pessoas, 5 das quais foram condenadas à forca!
Em 1888, dois anos depois destes acontecimentos, os presos foram libertados por um júri que reconheceu que os trabalhadores estavam inocentes.
Em 1889, o Congresso Internacional em Paris decidiu que o dia 1 de Maio passaria a ser o Dia do Trabalhador, em homenagem aos "mártires de Chicago".
Só em 1890, os trabalhadores americanos conseguiram alcançar a sua meta das 8 horas de trabalho diárias!
Em Portugal, devido ao facto de ter havido uma ditadura durante muito tempo, só a partir de Maio de 1974 (o ano da revolução do 25 de Abril) é que se passou a comemorar publicamente o Primeiro de Maio.
Sabias que só a partir de Maio de 1996 é que os trabalhadores portugueses passaram a trabalhar 8 horas por dia?
(Adaptado do site :www.junior.te.pt)

Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor

 
O "Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor" é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril, dia de São Jorge .Esta data foi escolhida para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas UMA ROSA VERMELHA DE SÃO JORGE (Saint Jordi) e recebem em troca, UM LIVRO.

Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em 1616, exatamente a 23 de Abril .Partilhar livros e flores, nesta primavera, é prolongar uma longa cadeia de alegria e cultura, de saber e paixão.

William Sakespere

Miguel Cervantes


FÁBIO VENTURA na nossa biblioteca - EB 2,3 Jacinto Correia

Com o objetivo de comemorar o dia do Livro,  a Biblioteca organizou um encontro com o escritor Fábio Ventura dirigido a de oitavo ano e a uma de sétimo . Esta atividade decorrerá no dia 23 de Abril , das 11 às 13 horas.

Fábio Miguel Ventura nasceu em 1986, em Portimão, terra onde cresceu. Licenciou-se em 2008 em Ciências da Comunicação pela Universidade do Algarve e fez um estágio na produção de programas da SIC. O gosto pelo fantástico e pela escrita levaram-no a enveredar por esta área. Orbias é a sua obra de estreia.´Fábio Ventura confessa-se um eterno sonhador e amante de histórias. Cedo ganhou vontade de partilhar com os outros a paixão pelo fantástico e hoje é já um dos autores de fantasia mais aclamado em Portugal. Graças à avidez por filmes, videojogos, livros, séries e toda uma série de elementos da cultura pop e do entretenimento onde se inspira, Fábio Ventura conta já com dois grandes sucessos publicados e à venda nas livrarias do país: Orbias – As Guerreiras da Deusa” e Orbias – O Demónio Branco”

PROBLEMA DO MÊS

"De que me irei ocupar no céu, durante toda a Eternidade,   se não me derem uma infinidade de problemas de Matemática para resolver?"                                                         Augustin  Louis  Cauchy  

                            



Concurso Nacional de Leitura- Fase Distrital


O Plano Nacional de Leitura (PNL) em articulação com a Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas e com a Rede das Bibliotecas Escolares promove, neste ano letivo de 2011/2012, mais uma edição do Concurso Nacional de Leitura. Tendo como objetivo estimular a prática da leitura entre os alunos do 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário, o concurso pretende avaliar a leitura de obras literárias pelos estudantes desses graus de ensino.
A prova da Fase Distrital do Concurso Nacional de Leitura é este ano organizada pela Biblioteca Municipal de Olhão, no dia 18 de Abril, e terá lugar no Auditório Municipal de Olhão.
As obras selecionadas para o 3º ciclo foram:  "Para Maiores de Dezasseis", de Ana Saldanha e "O Rapaz que Prendeu o Vento", de William Kamkwamba.



































A nossa escola far-se-á representar  pelos alunos Ana Correia, Miguel Brito e Catarina Encarnação. Boa sorte para eles!

Dia Internacional do Livro Infantil

Comemora-se hoje, dia 2 de Abril, o Dia Internacional do Livro Infantil.
Começou a celebrar-se este dia em 1967. Foi escolhido o dia 2 de Abril, porque é a data de nascimento do famoso escritor Hans Christian Andresen.
Pretende-se estimular o gosto pela leitura e promover o livro infantil.

Hans Christian Andersen foi um escritor dinamarquês de histórias infantis. Nasceu em Odense a 2 de Abril de 1805 e faleceu em  Copenhague, a  4 de Agosto de 1875Andersen teve dificuldade em pagar os seus estudos,porque provinha de uma família com poucos recursos, o pai era sapateiro. No entanto, os  seus ensaios poéticos e o conto "Criança Moribunda" garantiram-lhe um lugar no Instituto de Copenhague

 Escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido.
Entre os contos de Andersen, destacam-se: O Abeto, O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, Os Sapatinhos Vermelhos, O Pequeno Cláudio e o Grande Cláudio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei, A Princesa e a Ervilha, A Pequena Vendedora de Fósforos, A Polegarzinha, dentre outros.
Lê alguns dos seus contos! Clica no link:http://nonio.eses.pt/contos/andersen.htm

Sugestão de Leitura

O Rapaz do Pijama às Riscas

Ao regressar da escola um dia, Bruno constata que as suas coisas estão a ser empacotadas. O seu pai tinha sido promovido no trabalho e toda a família tem de deixar a luxuosa casa onde vivia e mudar-se para outra cidade, onde Bruno não encontra ninguém com quem brincar nem nada para fazer. Pior do que isso, a nova casa é delimitada por uma vedação de arame que se estende a perder de vista e que o isola das pessoas que ele consegue ver, através da janela, do outro lado da vedação, as quais, curiosamente, usam todas um pijama às riscas. Como Bruno adora fazer explorações, certo dia, desobedecendo às ordens expressas do pai, resolve investigar até onde vai a vedação. É então que encontra um rapazinho mais ou menos da sua idade, vestido com o pijama às riscas que ele já tinha observado, e que em breve se torna o seu melhor amigo…

Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para os 7º, 8º e 9º anos de escolaridade, destinado a leitura autónoma.


Sabias que este livro foi adaptado ao cinema ?

Vê o trailer do filme " O Rapaz do Pijama 


O TESOURO

O TESOURO


Descobri um tesouro
que tem a linguagem das nítidas brisas
e vogais espantadas nos olhos das crianças
porque há palavras que são apenas sentimentos

Descobri um tesouro
que escuta o silêncio nas asas de borboletas acabadas
e orações divididas pelo estuário de nós
porque há uma janela suave na brevidade da euforia assustada

Descobri um tesouro
que conjuga os instantes no sorriso das estrelas
e sílabas que morrem com sede de um fragmento de lua
porque há olhos que se misturam na solidão de um verbo imperfeito

Descobri um tesouro
encostado nos ombros da claridade
que pulsa na brancura de um página triste
e a manhã exibe a praia onde florescem rosas
abertas num barco sem cais

Descobri um tesouro
onde dormem todos os sonhos que cabem num gesto
e acendem os céus onde respiramos a ausência

Descobri um tesouro
quando abracei um livro grávido de ternura,
nas mãos ávidas de todos os poentes.
Prof. João Nunes

Ah, como é bom ir à biblioteca!


Aqui está o convite para uma viagem - uma viagem com os livros, os filmes e a música, o multimédia e a internet. O cais de embarque está bem pertinho, na biblioteca da escola, na biblioteca pública.
Escolham o que mais vos agradar e partam à aventura.  Descubram as maravilhas do mundo real e do mundo da fantasia. Aprendam e sonhem. Divirtam-se, divirtam-se muito!
Ah, como é bom viajar assim, faça sol ou faça chuva, haja ou não haja dinheiro na algibeira para gastar.
Ah, como é bom ir à biblioteca!
Luisa Ducla Soares


POEMA

                               
                                Livros 

                     Os livros são amigos,
                     Valiosos diamantes,
                     Tesouros escondidos,
                     Estrelas cintilantes.

                     Cuida deles com paixão,
                     Carinho e amor,
                     Pois eles têm coração
                     E como tal sentem a dor.

Letícia Thomaz

MOMENTO DE POESIA

Cansaço
O que há em mim é sobretudo cansaço —
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas —
Essas e o que falta nelas eternamente —;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada —
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimno, íssimo, íssimo,
Cansaço...
Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa

Retrato de Fernando Pessoa.
1954, óleo sobre tela, 2010 x 2010 mm
Museu da Cidade, Lisboa, Portugal
             Quadro de Almada Negreiros (1893-1970), pintado para o restaurante Irmãos Unidos

AS BIBLIOTECAS DO AGRUPAMENTO

Apresentamos um pequeno filme , sobre o trabalho desenvolvido pelas Bibliotecas Escolares,  realizado para ser projectado no Arraial de Final de Ano do Agrupamento ESPAMOL.
video

Rap da Escola 100%

Clica na hiperligação seguinte e aprecia o espectacular rap escrito e cantado pela turma 5º A. Este trabalho foi realizado na Área de projecto, em colaboração com a Biblioteca Escolar.

Rap da Escola 100%

O NOSSO VERIANO É O MAIOR!

Sodade de Veriano

O Veriano é agora aluno da E.B.2,3 Jacinto Correia, mas continua a ter lugar no nosso coração. Ei-lo aqui ao lado do urso que os meninos do JI de Porches pintaram na Quinta dos Vales.

As Viagens do Senhor Desquecido

Apresentamos o livro realizado pela turma 6ºA, em Área de Projecto, sob orientação das professoras Ana Viegas e Graça Mendes.
Divirtam-se com a leitura de " As Viagens do Senhor Desquecido".

Barbara-Marie Mundt na nossa Biblioteca

No dia passado dia 29 de Abril, a escritora alemã Barbara-Marie Mundt, acompanhada pela sua cadela Jóia,  veio à nossa Biblioteca para se encontrar com os alunos do 7ºAno de Alemão.
Os alunos tiveram oportunidade de colocar algumas perguntas à autora e foi feita a leitura, em Português, Inglês e Alemão, do livro Isabella - um pequeno Cão de água Português.
Foi um encontro muito interessante. Todos adoraram a Barbara e a Jóia. 

Dia Mundial da Poesia - Ser Poeta

Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendos
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e cetim…
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente…
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

(Florbela Espanca, «Charneca em Flor», in «Poesia Completa»)


Um Poema por Semana

Hoje, 21 de Março, Dia Mundial da Poesia, estreia na RTP2 o programa Um Poema por Semana, uma ideia de Paula Moura Guedes.
Durante a semana, o mesmo poema será dito por cinco pessoas diferentes, que têm em comum o gosto pela poesia.
Serão ditos poemas de  Sophia de Mello Breyner Andresen, Cesário Verde, Ruy Belo, Fernando Pessoa, Miguel Torga, Sá de Miranda, António Nobre, Alexandre O'Neill, Luís Vaz de Camões, Jorge de Sena, José Régio, António Gedeão, David Mourão-Ferreira,  Eugénio de Andrade, Mário Cesariny (a escolha dos poemas é de José Carlos de Vasconcelos.

19 de Março - DIA DO PAI


PAI

Pai,
vens com os olhos cansados,
os dedos gretados,
os pés doridos,
os sonhos moídos.
Onde colheste o sorriso
que me dás 
como uma flor?

Luísa Ducla Soares, “Poemas da mentira e da verdade”

FEIRA DO LIVRO

Vai realizar-se uma Feira do Livro, na Biblioteca da EB1/JI de Lagoa , de 13 a 16 de Dezembro.

NESTE NATAL, OFERECE UM LIVRO!

Fernando Pessoa morreu há 75 anos

Faz, hoje, dia 30 de Novembro,  75 anos que  o escritor português Fernando Pessoa faleceu.
Fernando Pessoa viveu dos sete aos 17 anos em Durban, na África do Sul, onde estudou e aperfeiçoou o seu inglês. Quando regressou a Portugal, foi tradutor, correspondente comercial, empresário, editor, crítico literário, jornalista e publicitário.
Conhecido pelos seus inúmeros heterónimos, Pessoa morreu em 1935, com 47 anos. 
“Mensagem” e “Livro do desassossego”, do heterónimo Bernardo Soares, são as suas obras mais sonantes.

Autopsicografia
   
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira a entreter a razão,
Esse comboio de corda
que se chama o coração.

          Fernando Pessoa

A literacia estatística


Realizou-se, no dia 28 de Outubro, na Escola E.B.2,3 do Parchal, uma acção de formação intitulada “A literacia estatística ao serviço da cidadania: Portal do INE e projecto ALEA – uma primeira abordagem.”
  A acção destinou-se aos professores bibliotecários dos concelhos de Lagoa e Silves e foi dinamizada por uma técnica do Instituto Nacional de Estatística.

Esta iniciativa da Rede de Bibliotecas Escolares e do Instituto Nacional de Estatística tem como objectivos desenvolver a literacia estatística nos alunos e divulgar o projecto ALEA- Acção Local de estatística Aplicada.

Projecto ALEA disponibiliza excelentes recursos digitais que poderão ser utilizados nas Bibliotecas Escolares e na sala de aula.

Links úteis para mais informações:

"Quem conta um conto acrescenta um ponto".


Chegaram, na 5ª Feira passada, à Biblioteca da E.B.2,3 Jacinto Correia, muitos livros da colecção "Clássicos Portugueses Contados às Crianças",   destinados aos alunos do 2º ciclo. Foram oferecidos pelo semanário Sol, que editou esta colecção.
O semanário Sol associou-se ao Plano Nacional de Leitura para propor às escolas de norte a sul do país um concurso no âmbito da leitura e escrita, "Quem conta um conto acrescenta um ponto".



MOMENTO DE POESIA

Cai chuva do céu cinzento
Que não tem razão de ser.
Até o meu pensamento
Tem chuva nele a escorrer.

Tenho uma grande tristeza
Acrescentada à que sinto.
Quero dizer-ma mas pesa
O quanto comigo minto.

Porque verdadeiramente
Não sei se estou triste ou não,
E a chuva cai levemente
(Porque Verlaine consente)
Dentro do meu coração.


Fernando Pessoa

MOMENTO DE POESIA


Se deste outono uma folha,
apenas uma, se desprendesse
da sua cabeleira ruiva,
sonolenta,
e sobre ela a mão
com o azul do ar escrevesse
um nome, somente um nome,
seria o mais aéreo
de quantos tem a terra,
a terra quente e tão avara
de alegria.
Eugénio de Andrade

MOMENTO DE POESIA

Tarde pintada
Por não sei que pintor.
Nunca vi tanta cor
Tão colorida!
Se é de morte ou de vida,
Não é comigo.
Eu, simplesmente, digo
Que há fantasia
Neste dia,
Que o mundo me parece
Vestido por ciganas adivinhas,
E que gosto de o ver, e me apetece
Ter folhas, como as vinhas.

Miguel Torga,  Diário X  (1966)

MOMENTO DE POESIA

Sophia de Mello Breyner Andresen
Quem és tu

Quem és tu que assim vens pela noite adiante,
Pisando o luar branco dos caminhos,
Sob o rumor das folhas inspiradas?

A perfeição nasce do eco dos teus passos,
E a tua presença acorda a plenitude
A que as coisas tinham sido destinadas.

A história da noite é o gesto dos teus braços,
O ardor do vento a tua juventude,
E o teu andar é a beleza das estradas.

Sophia de Mello Breyner Andresen
Obra Poética I
Caminho